Curiosity

Para acessar nossa transcrição e tradução, clique no botão abaixo 😉

Curiosity

Hello people of the world, this is Mark. A. Bowen, English teacher, coming to you via the internet.

Today we are here to talk about curiosity. As always, if you need the transcript of this video to help you understand, it is here in both English and Portuguese

In English we say curiosity killed the cat. I’m not so sure. I’m a curious cat and I’m not dead yet. I’ll tell you a story about why I came to Brazil, and how curiosity motivated me, and really, in fact, lit my way.

It starts in a cold European winter. I started meeting Brazilians everywhere in Prague, where I was living. I met other Latinos as well – Colombians, Peruvians, Cubans… And I started listening closely to the tones of Spanish and Portuguese. I became very curious. At the same time winter was setting in. And I knew the cold. You could say I wasn’t so curious to experience minus 15 degrees Celsius anymore. I wanted to be some place tropical. I wanted to learn new languages. How do I learn? Well, you know the child that puts his hand on the stove to see if it’s hot? I’m kinda like that one. Except I put my hand very close to the stove.

Well, the cat bought a ticket to Bogota, Colombia. There, this cat walked an hour both ways through the streets of Bogota to have private Spanish classes. I stayed out late at night trying to speak with people. I took salsa classes and began dancing everywhere. I worked on Colombian TV shows. I taught English and hung out with film producers, actors, cinematographers and some tramps.

My final destination was always Brazil, I had some contacts in Brasília, so curiosity took me through the Amazon rain forest to Tabatinga, Brazil, where I boarded a boat to Manaus, and then a flight to Brasília. There was nothing to do. Colombia, so full of music and dance. Guará, so much time to play snooker with the lunatics at the bar next door. They taught me a very colorful vocabulary of swear words and insults.

I wanted to learn Portuguese, and being in Brazil, I had ample opportunity. But I didn’t pay a teacher. I started training jiu-jitsu, and watching videos to learn methods to take down and strangle my adversaries. I started listening to and studying the music of Paula Fernandes, who fascinated me with her voice, cuteness, and strange outfits. I thought: she’s a country girl, I’m a country boy, maybe it’ll work out. I went to a samba and I saw a man playing a guitar with seven strings. I bought a cheap one and started taking classes with a private teacher. Then I became interested in the Agroforest movement and learned lots of new words for plants I had never dreamed of. I made friends. All of these little habits were fueled by curiosity, and led me to the knowledge of the Portuguese language I have today.

My point here is to show you how you can learn. A friend of mine, a cinephile – curious in the art of cinema – learned English solely from watching and re-watching film scenes. Another because she was a great lover of English literature. Another through his studies of computer technologies. And yet another through his studies of religion. My students who have a deep well of curiosity are always the best in English. Always.

What am I saying to you? Open your mind. Question yourself about what curiosities you have. Look inside to see what you might wish to learn. If you say English, go deeper. Why do you want to learn English? What interests you? Is it music, sport, cooking, biology, agriculture, technology, religion, history, or any other of infinite topics you can learn about, in English? It is perhaps the language with the most media available online – in other words, it is easy to find materials in English, and with a dictionary, good research habits, and some motivation, you can learn just about anything. But curiosity is where it begins. Curiosity is the spark. Curiosity lights the way.

Immersion Now, this method, encourages study of everything. How do you make Turkish tea? Is it possible to have an economy without money? How deep is the ocean? When you open your mind to learning about different and new subjects in English, you learn more effectively.

Curiosity killed the cat? Maybe. Actually, no. Unless the cat makes a homemade bungee jumping kit and jumps off a high building. Don’t play with fire, kids. Calculate your risks. Be open. But most importantly, be curious.

Curiosidade

Olá povo do mundo, este é Mark A. Bowen, professor de inglês, vindo até você via internet.

Hoje estamos aqui para falar sobre curiosidade. Como sempre, se você precisar da transcrição deste vídeo para ajuda-lo a entender, está aqui em ambos inglês e português.

Em inglês, dizemos que a curiosidade matou o gato. Eu não tenho tanta certeza. Eu sou um gato curioso e ainda não estou morto. Vou lhe contar uma história sobre por que eu vim ao Brasil e como a curiosidade me motivou e na verdade, de fato, iluminou meu caminho.

Tudo começa com um frio inverno Europeu. Eu comecei a encontrar Brasileiros em todo o lugar em Praga, onde eu vivia. Eu encontrei outros Latinos também – Colombianos, Peruanos, Cubanos…E eu comecei a ouvir atentamente aos tons das línguas Portuguesa e Espanhola. Fiquei muito curioso. Ao mesmo tempo o inverno estava chegando. E eu conhecia o frio. Poderia se dizer que eu não estava mais assim tão curioso para experienciar menos 15 graus centígrados. Eu queria estar em algum lugar tropical. Eu queria aprender novos idiomas. Como eu aprendo? Bem, você conhece a criança que coloca a mão no forno pra ver se está quente? Eu sou como ela. Só que eu coloquei minha mão muito próxima ao forno.

O gato comprou uma passagem para Bogotá, Colômbia. Lá, este gato andou por uma hora em ambos os sentidos através das ruas de Bogotá para ter aulas particulares de Espanhol. Lá, eu ficava fora até tarde da noite tentando falar com pessoas. Eu fiz aulas de salsa e comecei a dançar em todo o lugar. Lá, eu trabalhei em programas de TV Colombianos. Eu ensinei Inglês e passei tempo com produtores de filmes, atores, cineastas e vagabundos.

Meu destino final sempre foi o Brasil, eu tinha alguns contatos em Brasília, então a curiosidade me levou através da floresta Amazônica até Tabatinga, Brasil, onde eu embarquei em um barco para Manaus, e então um voo para Brasília. Não tinha nada pra fazer. A Colômbia era tão cheia de música e dança. No Guará, tanto tempo para jogar sinuca com os lunáticos no bar ao lado. Eles me ensinaram um vocabulário muito colorido de palavrões e insultos.

Eu queria aprender Português, e estando no Brasil, eu tinha ampla oportunidade. Mas eu não paguei um professor. Eu comecei treinando jiu-jitsu e assistindo vídeos para aprender métodos de derrubar e estrangular os meus adversários. Comecei a ouvir e estudar a música de Paula Fernandes, que me fascinava com sua voz, fofura, e roupas estranhas. Eu pensei: ela é uma garota do interior, eu sou um garoto do interior, talvez funcione. Eu fui para um samba e vi um homem tocando um violão de sete cordas. Então eu comprei um violão barato e comecei a ter aulas com um professor particular. Então fiquei interessado no movimento Agroflorestal e aprendi muitas palavras novas para plantas sobre as quais eu nunca sonhei. Eu fiz amigos. Todos esses pequenos hábitos foram abastecidos pela curiosidade, e me levaram ao conhecido da língua Portuguesa que eu tenho hoje.

Meu propósito aqui é mostrar para você como você pode aprender. Um amigo meu, um cinéfilo – curioso sobre a arte do cinema – aprendeu inglês somente assistindo e reassistindo cenas de filmes. Uma outra por que ela era uma grande amante da literatura Inglesa. Um outro através de seus estudos de tecnologias informáticas. E ainda um outro através de seus estudos da religião. Meus alunos que têm um poço profundo de curiosidade são sempre os melhores em Inglês. Sempre.

O que estou te dizendo? Abra sua mente. Questione a si mesmo sobre quais curiosidades você tem. Olhe para dentro para ver o que você pode querer aprender. Se você disser Inglês, vá mais fundo. Porque você quer aprender Inglês? O que te interessa? Será música, esporte, culinária, biologia, agricultura, tecnologia, religião, história ou qualquer outro de infinitos assuntos sobre os quais você pode aprender, em Inglês? Talvez seja o idioma com o maior acervo de mídia disponível online – em outras palavras, é fácil achar materiais em Inglês, e com um dicionário, bons hábitos de pesquisa e alguma motivação, você pode aprender qualquer coisa. Mas a curiosidade é onde começa. Curiosidade é a faísca. Curiosidade ilumina o caminho.

Immersion Now, este método, encoraja o estudo de tudo. Como fazer chá Turco? É possível ter uma economia sem dinheiro? Quão fundo é o oceano? Quando você abre sua mente para aprender novos e diferentes assuntos em Inglês, você aprende mais efetivamente.

A curiosidade matou o gato? Talvez. Na verdade, não. A não ser que o gato faça um kit caseiro de bungee jumping e pule de um prédio alto. Não brinquem com fogo, crianças. Calculem seus riscos. Estejam abertos. Mas o mais importante, sejam curiosos.

1 thought on “Curiosity”

  1. Uau! É instigante, tudo o que você fala. Eu já vinha buscando esse aprendizado desta forma, mas é sempre bom ouvir incentivos. Grata! Ps: Te vi no Ossobuco

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *